quinta-feira, abril 26, 2012

Es.Col.A da Fontinha

Já fui mais impulsiva e assertiva, hoje em dia prefiro analisar bem os factores antes de tomar uma posição. E na maior parte das vezes não a publicito por não querer impôr aos outros o meu pensamento. Mas porque neste caso específico acho que as pessoas não formaram uma opinião informada, vou assumir a minha posição a favor do ESPAÇO COLECTIVO AUTOGESTIONADO DA FONTINHA. Porque fui lá, porque conheci as pessoas envolvidas, porque vi como funciona, porque acho a atitude do rui rio execrável.

sábado, abril 21, 2012

Há dias em que me sinto tão sozinha, tão ostracizada, tão abandonada que me questiono sobre as minhas razões para aqui permanecer. Sinto que as relações que criei são superficiais e egoístas, que não me dei a ninguém e não permiti que ninguém se desse a mim. Sinto que não fiz nenhuma diferença e que toda a gente continuará as suas vidas normalmente como se eu nunca tivesse passado por elas. Mesmo aquelas de quem me considero mais próxima... sinto-me invisível, delével.

segunda-feira, abril 16, 2012

Gorjetas

Nunca se sabe ao certo quanto se deve dar como gorjeta ou gratificação a alguém nem como fazê-lo.

Apesar de ser um uso desconfortável, é absolutamente uma decisão pessoal e voluntária. Mas se um serviço, ou uma atitude em qualquer local tenha desagradado sobremaneira, então, não será necessário dar uma gorjeta não merecida.

Dão-se gorjetas ao porteiro de um prédio, ao bagageiro da estação ou do aeroporto, a um mensageiro, ao arrumador do teatro, ao empregado do supermercado, etc.

A dúvida reside, geralmente, sobre a justa avaliação da gorjeta para que não seja ofensivo para quem a recebe. Usualmente deve-se deixar dez por cento da quantia que totaliza a conta, e não se usando a gorjeta para se descarregar a carteira das muitas moedas que se possa ter.

Existem, no entanto, em alguns países o hábito de incluir a gorjeta na conta, o que facilitará toda esta situação.

Acima de tudo uma gorjeta é um gesto de cortesia e de gratificação que deverá ser feito com discrição, para que não se ofenda quem a recebe nem pareça mal a quem a dá.

http://www.portugalprotocolo.com/ETIQUETA_GORJETAS.php

Mário de Sá Carneiro, Caranguejola

- Ah, que me metam entre cobertores,
E não me façam mais nada...
Que a porta do meu quarto fique para sempre fechada,
Que não se abra mesmo para ti se tu lá fores!

Lã vermelha, leito fofo. Tudo bem calafetado...
Nenhum livro, nenhum livro à cabeceira
- Façam apenas com que eu tenha sempre a meu lado
Bolos de ovos e uma garrafa de Madeira.

Não, não estou para mais - não quero mesmo brinquedos.
Pra quê? Até se mos dessem não saberia brincar...
Que querem fazer de mim com este enleios e medos?
Não fui feito pra festas. Larguem-me! Deixem-me sossegar...

Noite sempre plo meu quarto. As cortinas corridas,
E eu aninhado a dormir, bem quentinho - que amor...
Sim: ficar sempre na cama, nunca mexer, criar bolor
- P'lo menos era o sossego completo... História! [Era a melhor das vidas...

Se me doem os pés e não sei andar direito,
Pra que hei-de teimar em ir para as salas, de Lord?
- Vamos, que a minha vida por uma vez se acorde
Com o meu corpo, e se resigne a não ter jeito...

De que me vale sair, se me constipo logo?
E quem posso eu esperar, com a minha delicadeza?
Deixa-te de ilusões, Mário! Bom edrédon, bom fogo
- E não penses no resto. É já bastante, com franqueza...

Desistamos. A nenhuma parte a minha ânsia me levará.
Pra que hei-de então andar aos tombos, numa inútil correria?
Tenham dó de mim. Co'a breca! Levem-me prà enfermaria!
- Isto é, pra um quarto particular que o meu Pai pagará.

Justo. Um quarto de hospital, higiénico, todo branco, moderno [e tranquilo;
Em Paris, é preferível - por causa da legenda...
Daqui a vinte anos a minha literatura talvez se entenda
- E depois estar maluquinho em Paris fica bem, tem certo estilo...

- Quanto a ti, meu amor, podes vir às quintas-feiras,
Se quiseres ser gentil, perguntar como eu estou.
Agora, no meu quarto é que tu não entras, mesmo [com as melhores maneiras:
Nada a fazer, minha rica. O menino dorme. Tudo o mais acabou.