quinta-feira, julho 12, 2007

am I?

Do I? Should I? Deixar-me de merdas e medos, sentir os sentimentos em vez de os pensar, deixar-me levar por eles em vez de os controlar, soltá-los em vez de os não exteriorizar?

Não fazer cerimónia e dizer o que me vai na cabeça, independentemente das consequências que isso possa trazer, poderei eu acartar com elas? Decidir-me e dedicar-me, em vez de dar 70% dar 100% ou 200%. Não ter medo de explodir.

Especializar-me. Aquecer ou arrefecer, mas renunciar à tepidez. Especificar em vez de generalizar.

Voltarei eu a ser capaz de me dar, de assumir as minhas carências, de envolver e preencher uma pessoa em vez de um pensamento? De me dar a conhecer em vez de me esconder em silêncios, frases feitas ou evasivas, acções minimizadoras de situações quando me caiu o mundo...

Não sei se quero, serei eu capaz de voltar a querer? Que circunstâncias são estas que se proporcionaram que não me fazem sentir nada de especial, mas fazem-me querer investir nelas para passar a ser algo transcendental?

Haverá algum interesse?

segunda-feira, julho 09, 2007

evolução dos acontecimentos

Em relação à angústia, estou melhor, o cenário n é tão negro como pensava. As minhas preces foram ouvidas, mesmo assim há que ter cuidado e dedicação.

Quanto ao mergulho, ainda n saí fora de pé, mas já nado à vontade. Só há um senão... a bandeira está vermelha e as pessoas insistem que n devo ficar na água demasiado tempo seguido.