segunda-feira, setembro 05, 2005

circunstâncias da vida

Nalguns momentos da nossa vida, temos de lidar com situações desagradáveis com as quais não queremos lidar, que não queremos enfrentar, que gostaríamos de ignorar. Mas ignorá-las ou fingir que não existem pode ter consequências graves e permanentes, e podemos arrepender-nos para o resto da vida de termos tomado esta atitude.
Não podemos tentar arranjar culpados, nem bodes espiatórios, de situações infelizes. Arriscamo-nos a perder amigos. Temos todo o direito de ficar magoados , chateados ou tristes com os nossos amigos. Mas não podemos dar demasiada importância a acontecimentos. Os acontecimentos são passageiros, mudam, aprendemos a lidar com eles. Os amigos são para se manter, para se perdoar, para pedir ajuda, para ajudar, para contar, para chorar, para rir. Se nos chateamos com os nossos amigos, devemos conversar com eles, explicar o que sentimos, ouvir o que têm para dizer. A não ser que nos magoem de propósito, por maldade, não há nada que justifique deixar de ser amigo de alguém.

AVANTE!

Este fim-de-semana fui ao avante, n, n sou comunista, sou apartidária, mas fui ao avante! Pelo cartaz, pelo ambiente, pela comida, pelos meus amigos, pela carvalhesa... e porque nada tenho contra os comunistas! A nível musical foi hiper interessante e enriquecedor. Vi de tudo, orquestra sinffonietta de lisboa, toques do caramulo, moçoilas, telectu, lusotango, primitive reason, xutos e pontapés, blasted mechanism, clã, jazz... Vi uma peça de teatro para criancinhas, muito fixe! Comi na madeira, em viana do castelo, na pita shoarma, na mulher, em cuba, na catalunha e na palestina! Bebi vinho alentejano, mojitos e piña-coladas cubanos e sangria catalã! Conheci uns cotas comunas porreiros. Chateou-me o funcionamento e a atitude da maior parte das pessoas, falta de civismo e muito materialismo, comunistas capitalistas. Mas curti a festa, talvez volte para o ano...